quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

PASSA-SE ESSE PONTO

ou Recado para o novo ocupante
ou Mensagem de despedida para os companheiros dos 30
ou Bye-bye erótico-saudoso
ou último post do Edu Araújo



Passo esse ponto.  Arejado, cheio de ideias novas e alguns lugares-comuns. Costuma ser bem frequentado. Às vezes espiam e comentam, mas é coisa da vizinhança, e vizinho a gente não escolhe. De um modo geral ninguém se mete na vida de ninguem, e a maioria gosta bastante de visita. No começo, ainda que menos frequentado, sempre escreviam recados os que por aqui passavam, não sei por que perderam o hábito. E as pessoas, que ocupam este espaço, fingem que não, mas gostam que falem delas, das coisas delas. Tem muita gente carente nesse mundo. Vezenquando aparece fotos familiares. Uns choram nos seus quadradinhos. Põem música, videozinho. Mandam recado. De dor de dente à dor de amor. Cabe tudo. Conto de fada, continho pornográfico, mulher nua, poesia que ninguém entende, dialogos-piadas, tramas policiais, cartas, reportagem especial de automobilismo. Entre e fique à vontade! Pode puxar aquela banqueta, àquela, criatura, no pé da página.

Ocupam o espaço uns tipos neo-hippies super hypes, viajantes, jovenzinhos na maioria (Mas nem se diz, pelo bonito que escrevem!). Andam meio melancólicos ultimamente. Desconfio que mais da metade fuma maconha, o que não chega a incomodar. São discretos. Se tem intriga, resolvem via email, coisas de gente moderna. Mas no fundo, eu acho que é tudo gente de família, respeitadora e temente a Deus. Adeus, foi o que eu disse. 

E digo de novo, olhinhos marejados de água como clichê de novela da Globo: "Foi bom estar aqui". É um espaço agradável, de gente comprometida/descomprometida/metida. Uns dias e outros ficam lacunas no espaço. Acontece, como quem falta ao serviço. Mas será que pesa tanto assim uma vez por mês? 

O certo é que foi bom, enquanto durou. É duro partir, e parto. Fiz um monte de coisa boa aqui, que me orgulho. Botei na vitrine, por um tempo, o melhor de mim. Mas com os dias, alguma coisa se perde, se desgasta, a gente olha em volta, dá um desânimo, um vazio de rotina. Sabe papai e mamãe todo dia? A gente quer que algo aconteça, espetacular, e nada. E antes de acabar todo o gás, ser mera obrigação, compromisso, a gente bate a mão no tapetão e pede pra sair. Feito agora. Razão para deixar a vaga, e dizer, feito fim de relação: o problema não é você, sou eu, baby.

Ponto passado, com exigência ao novo ocupante: Vê se respeita o dia 13 que é quase dia santo, de tão bonito número, de sorte e azar. Hasard. E não maltrate o Português, porque se é pra transgredir, faça com alguma razão e domínio do jogo: ideias e palavras friccionando no espaço, para gerar surpresa, encantamento. Textos longos enfadam, mas dane-se, se confiar bote, que há sempre alguém neste mar à deriva pra se atracar nele. E fuja ao piloto automático, ao post gambiarra. Ok, meu último foi assim, mas é por que brochei. Tesão é coisa divina, todo gozo é gozo santo. E eu digo a você: só faça o que tiver que fazer "com prazer". Muito prazer, seja bem vindo! A casa é sua. Já pus a mudança no meu caminhão. Deixo essas coisinhas aí no espaço, se não tiver que fazer, dê aos pobres, pois o que não falta é pobre nesta vida. Não se assuste com o eco do espaço vazio. Dê uma demão de tinta na parede. Decore o ambiente com seu estilo, imprima aqui sua personalidade. Seja bem vindo. 


Puxa, quase dois anos aqui! 21 postagens (contando com esta), dá para acreditar?! Pus tudo aqui pra no caso de sentirem saudades. Juro que volto em visitas surpresa para ver se não escangalharam a casa, que isto aqui é zona de respeito, de prestígio, doce de coco. É ísso! E desculpe pelo alongado do adeus, é que a gente faz isso nas despedidas, mesmo sendo da nossa vontade. Mudar é foda, despedir pior. Então vou. Deixo endereço, para caso de contato e dúvida. E um clipezinho, que boto depois, é de um show que fui, para encher por inteiro o espaço da saudade. Saudades.


Amor.

Edu

2 comentários:

  1. Não sabia deste blog, mas sua despedida oi simples , intensa e bela em poucos parágrafos.

    ResponderExcluir